Gazeta Entrevista Com Mariazinha Leitão

Terça, 13 Maio 2014 00:00

A pedagoga e gerontóloga Mariazinha Leitão, fundadora e diretora de divulgação da ABRAz – Associação Brasileira de Alzheimer da Regional Acre, atua no hospital do idoso e foi convidada ao Gazeta Entrevista, sob a apresentação de Alan Rick, na quinta-feira, 08 de maio, para falar sobre a doença de Alzheimer e da homenagem da Associação às recém tituladas geriatra Milagros Clavijo e gerontóloga Rossy Ramos.

Mariazinha fala na entrevista que Alzheimer é uma doença que degenera os neurônios, conhecida como a doença do esquecimento. A pessoa passa a esquecer dos seus compromissos, depois dos parentes e amigos, passa a repetir a mesma coisa várias vezes, pode se tornar agressiva ou demonstrar mudanças repentinas de humor e chega a um ponto que não sabe mais se alimentar. “Quando o doente passa da fase moderada para a avançada, ela sai de cena – fica esquecida de tudo – mas quem sofre são os familiares.”, afirmou Mariazinha Leitão.

Depois dos 75 anos é a idade que a doença costuma aparecer com mais freqüência, mas já houve casos da pessoa aos 50 anos ser diagnosticada. A família precisa estar atenta aos comportamentos dos idosos, não deve banalizar achando que ele está apenas caduco, como se fosse um comportamento natural. Com esta doença, a própria pessoa não pode fazer muito por ela mesma, precisa principalmente da ajuda dos familiares e amigos para se tratar e ser incluído no ambiente familiar. Excluir o idoso do ambiente social ou deixá-lo sozinho pode agravar ainda mais a situação dele.