Sobre a CADES

Todos por todos

Na Assembleia Geral do “dia D” da CADES, realizada no auditório da Secretaria de Fazendo do Estado do Acre, cada uma das entidades mostrou o seu trabalho, tirou dúvidas e trocou experiências e saberes na luta por uma saúde melhor.

Os líderes das entidades, expuseram suas dores internas, mostraram suas sequelas externas deixadas por doenças como Jorge Lobo, hanseníase, AIDS, transtorno mental, dependência de álcool e outras drogas, diversas deficiências, doenças crônicas, e destacaram suas dificuldades em garantir os serviços de saúde para gestantes, crianças e idosos.

Ao se confrontarem na Assembleia Geral, os líderes das entidades disseram, nas estrelinhas, que “a sua dor não é maior e nem menor que a minha. Por tanto, precisamos nos unir e se fortalecer para garantir a consolidação do SUS para todos e com todos”, diziam entre eles.

Foi nesse momento que a coordenação da CADES percebeu que aquelas entidades tinham nascido na dor de cada uma delas, que foi transformada no amor capaz de ensinar que todas as pessoas teriam de se respeitar como cidadãos livres, sem serem excluídos do convívio da família e nem serem descriminados por preconceito da sociedade. Esse encontro consolidou a irmandade CADES, onde passou a vigorar o ideal do “Todos por Todos”.