Sobre a CADES

Co-participação ativa em serviços essenciais por uma saúde integrada

A primeira Casa de Passagem nasceu em 25 de janeiro de 2002 e foi fundada pela Associação Amigos do Peito (AAPEI) por sugestão da Juíza Maria Tapajós, falecida de câncer, para promover trabalho solidário em favor de pessoas atingidas por diversos tipos de câncer. Nas rodas de conversa com suas filiadas a CADES chegou a conclusão que estava na hora de colocar em prática o que a Constituição Federal preconiza “A saúde é direito de todos e dever do Estado garantir, mas é dever de toda sociedade cooperar”.

Foi então, que a CADES e suas filiadas, em especial, a Associação das Pessoas que fazem Tratamento Fora de Domicílio – ASFEAC, criaram as Casas de Passagem de Rio Branco e Goiânia, que são locais destinados a apoiar e amparar pacientes com hospedagem, transporte e alimentação vindos dos municípios e das áreas rurais de todo o Estado. E a CADES fortaleceu o trabalho da Casa do Doutor Tércio – SP e a Casa do Seringueiro.

Também foram muitas as participações das entidades da CADES em eventos relacionados à saúde do Acre. As entidades coordenaram o eixo “Setor Saúde”, da 1ª Conferência Nacional de Segurança Pública e promoveram seminários em defesa do SUS.

Junto com as entidades que trabalho com álcool e outras drogas, a CADES realizou o I Encontro sobre o funcionamento de Comunidade Terapêutica. As entidades da Central também participaram da Caravana em Defesa do SUS, realizada no Teatrão.