Sobre a CADES

O começo: um jovem médico pela luta coletiva da saúde

Como a Central de articulação das entidades de Saúde (CADES) conseguiu fortalecer e unir as entidades filiadas que atuam nas áreas da assistência, da prevenção e do controle social das políticas públicas de saúde no contexto do público alvo do Sistema Único de Saúde (SUS)?

A resposta para essa pergunta começa lá atrás, há mais de 10 anos, com a atuação de um jovem médico acreano nos consultórios e nos corredores dos hospitais e outras unidades de saúde pública do estado, onde incentivava os pacientes do SUS a lutarem por seus direitos a um serviço de saúde mais humano e de melhor qualidade.

O jovem médico é o infectologista Sebastião Afonso Viana Macêdo Neves, mais conhecido como Tião Viana, que sempre muito atencioso e com sua visão humanista da vida, logo se tornou uma referencia para as pessoas vivendo com diversas patologias no Estado. Eram pacientes de AIDS, renais crônicos, hanseníase, obesidade e de tantas outras doenças, que precisam de um olhar diferenciado.

A eleição do Dr. Tião Viana para o Senado em 1998 rareou os contatos com seus paciente no Acre, mas em vez de enfraquecer a luta pelo melhor atendimento da saúde no Estado, fez foi fortalecer a ideia dada pelo senador, e logo absorvidas pelas entidades, de criação de um organismo para centralizar e coordenar as ações de todos.

“Então, o senador reuniu todas as entidades na área de saúde e disse que era chegada a hora das entidades se unirem para se fortalecer em prol de uma saúde com mais qualidade e mais humana”, relata a coordenadora fundadora Verônica Loureiro, que há 10 anos colabora com a central.

Assim nasceu a Central de Articulação das Entidades de Saúde (CADES), fruto de um seminário realizado nos dias 18 e 19 de julho de 2003 em Rio Branco, onde representantes das 18 entidades discutiram, debateram e decidiram unificar o movimentos da participação popular nos destinos da saúde pública acreana.