Sobre a CADES

Feiras de Saúde ajudam a mobilizar a população

A primeira Feira de Saúde ocorreu na Escola Ismael Gomes de Carvalho, no bairro Tancredo Neves, beneficiando os moradores dos bairros Defesa Civil, Jorge Lavocat, Montanhês e Tancredo Neves. As Feiras de Saúde iniciaram em junho de 2005 e tiveram sete edições até 2010. Sempre levando informação e serviços em parceria com diversas instituições governamentais e não-governamentais, Feiras de Saúde com mais de cinco mil pessoas em busca dos serviços de saúde e acadêmicos em busca de informações sobre diversas doenças chamam a atenção dos orgãos governamentais e da mídia local.

Em 2011, as Feiras de Saúde passaram a compor a programação de ações da Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA), com um desafio: mobilizar a sociedade para o debate da saúde pública e participação da 7ª Conferência Municipal de Saúde, com o tema: “SUS: SAÚDE DE TODOAS PARA TODOS”, realizada pelo Conselho Municipal de Saúde. Assim, foram realizadas 7 feiras de saúde – uma em cada regional do municipio – agregando-se a elas pré-conferências que contaram com a participação de aproximadamente 1.500 pessoas, que discutiram questões de saúde locorregionais nos dois eixos propostos para o debate: Acesso e Acolhimentos com qualidade – um desafio para o SUS e Participação da Comunidade e Controle Social, em referência aos eixos B – políticas públicas para a saúde e qualidade de vida – e C – participação da sociedade na efetivação do direito humano a saúde, proposto pelo conselho Nacional de Saúde, e apresentaram propostas para a Conferência Municipal de Saúde, que ficou marcadas com a edição com maior mobilização e participação popular, de trabalhadores e gestores da saúde em Rio Branco.

Em 2012, cumprindo com o compromisso de inclusão de todas as propostas aprovadas na conferência, e enviadas pelo Conselho Municipal de Saúde. No plano Municipal de Saúde – uma delas foi a continuidade das Feiras de Saúde – a SEMSA efetivou parceria com a CADES e junto com o Conselho Municipal de Saúde na agenda da SEMSA. Os locais foram definidos pelos COPS e lideranças comunitárias, que também participaram da organização das feiras, e a mobilização realizada em unidades de saúde, escolas, igrejas, centros e associações comunitárias e por meio de carro de som que percorria as ruas dos bairros. Foram realizadas 16 Feiras de Saúde, com um público estimado em 80.000 pessoas.